sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Ensaio sobre a cegueira


Autor: José Saramago
Ano: 1995

Editora: Caminho
Número de páginas: 310

Lido entre 05/11/2008 e 19/11/2008 (15 dias)

Classificação: 5/5


Opinião:

Quando a Kat me emprestou o livro, eu não estava muito motivada. Mas adorei lê-lo! O livro tinha algumas cenas mais dramáticas e chocantes e que eu até tinha de fazer uma paragem na leitura para perceber que aquilo não era real. O:) Mas cativou-me do início ao fim. De momento, pretendo ir ver o filme ao cinema antes que ele saia das salas.



Sinopse:

"O romance aborda a emergência de uma inédita praga de uma repentina cegueira abatendo uma cidade não identificada, inexplicável e incurável. Tal "cegueira branca" — assim nomeada pois as pessoas infectadas percebem nos seus olhos nada mais que uma superfície leitosa — manifesta-se primeiramente num homem sentado no trânsito e, lentamente, se espalha pelo país. Aos poucos, todos acabam cegos e reduzidos, pela obscuridade, a meros seres lutando por seus instintos. À medida que os afectados pela epidemia são colocados em quarentena, em condições desumanas, e os serviços estatais começam a falhar, a história segue a mulher de um médico, a única pessoa que não é afectada pela doença que cega todos os outros.

O romance mostra-nos o desmoronar completo da sociedade que, por causa da cegueira, perde tudo aquilo que considera como civilização e, mais que comentar as facetas básicas da natureza humana à medida que elas emergem numa crise de epidemia, "Ensaio sobre a cegueira" mostra a profunda humanidade dos que são obrigados a confiar uns nos outros quando os seus sentidos físicos os deixam. O brilho branco da cegueira ilumina as percepções das personagens principais e a história torna-se, não só um registro da sobrevivência física das multidões cegas, mas também das suas vidas espirituais e da dignidade que tentam manter."

1 comentário: