quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Message in a Bottle


Nome em português: As palavras que nunca te direi
Ano: 1999
Género: Drama, Romance
Realização: Luis Mandoki
Argumento: Nicholas Sparks (novel), Gerald Di Pego (screenplay)
Elenco: Kevin Costner (como Garret Blake), Robin Wright (como Theresa Osborne), Paul Newman (como Dodge Blake)


Opinião:
Classificação: 8/10. Filme visto em 26.12.2011.
Já li o livro há bastantes anos, mas ainda não tinha visto o filme. Era o único filme baseado num dos livros de Nicholas Sparks que eu ainda não tinha visto. O filme é bastante fiel ao livro, excepto no final. Quer dizer, o final é praticamente o mesmo, mas tem um determinado pormenor que é diferente.


Sinopse:
"O viúvo solitário, Garret Blake, constrói barcos para viver. Reconstruir a sua vida - isso é outro problema. Pelo menos antes de Theresa Osborne chegar à sua aldeia na Carolina do Norte. Theresa, uma recém-divorciada e investigadora do Chicago Tribune, descobre que Garret é o autor de uma mensagem que encontrou numa garrafa, numa praia de Cape Road. Uma mensagem de sonho que a emocionou profundamente como nunca o tinha sido até então.
Kevin Costner (Garret) e Robin Wright Penn (Theresa) são as estrelas que iluminam as brilhantes representações de "As Palavras Que Nunca Te Direi", uma história de amor perdido e encontrado baseado no bestseller de Nicholas Spark. "Tu escolhes - entre o passado e o futuro. Agarra-te a um deles e aguenta-te" Quem o diz é Dodge (Paul Newman), o experiente pai de Garret. O conselho toca fundo. Tal como o impacto desta bela e emocionante história de amor."



Trailer:

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

A Christmas Carol



Nome em português: Um conto de Natal
Ano: 2009
Género: Animação, Comédia, Drama
Realização: Robert Zemeckis
Argumento: Robert Zemeckis (screenplay), Charles Dickens (novel)
Elenco: Jim Carrey (como Scrooge), Gary OldmanColin Firth (como Fred)


Opinião:
Minha classificação: 6/10. Filme visto em 25.12.2011, à tarde, na SIC. 
Já conhecia a história, claro (quem é que não conhece?). E achei que todo o filme é um bocado assustador. Eu faria o mesmo filme sem esses efeitos todos, e muito mais "bonitinho".


Sinopse:
"O avarento Ebenezer Scrooge começa a época de Natal com o seu habitual mau humor, gritando com maus modos ao seu fiel empregado e ao seu alegre e carinhoso sobrinho. Mas quando os fantasmas do Natal Passado, Presente e Futuro o levam numa viagem, reveladora de muitas verdades, que o Velho Scrooge não quer enfrentar, ele vai ter de abrir o coração para apagar anos de ruindade antes que seja tarde de mais…"


Trailer:


terça-feira, 27 de dezembro de 2011

He's Just Not That Into You


Nome em português: Ele não está assim tão interessado
Ano: 2009
Género: Comédia, Drama, Romance
Realização: Ken Kwapis
Elenco: Jennifer Aniston (como Beth), Jennifer Connelly (como Janine), Scarlett Johansson (como Anna)


Opinião:
Minha classificação: 6/10. Filme visto em 23.12.2011.
Depois de ter lido o livro, quis mesmo ver o filme. Sinceramente não gostei muito. O livro centra-se muito na ideia que, se nos tratam mal, é porque os homens não estão assim tão interessados. Pelo contrário, o filme tenta que as histórias acabem bem e sejam todos muito felizes. E essa não é a ideia do livro.


Sinopse:
"Se alguma vez já esteve sentada à frente do telefone a perguntar-se por que razão ele disse que ligava mas não liga, ou se não percebe o porquê dela não querer ir mais para a cama consigo, ou porque diabo a sua relação não avança para o nível seguinte… ele (ou ela) talvez não estejam mesmo nessa…
Baseado no popular dos argumentistas de “O Sexo e a Cidade”, Greg Behrendt e Liz Tuccillo, “Ele Não Está Assim Tão Interessado” conta a história cruzada de um grupo de vintões e trintões de Baltimore, enquanto estes navegam através das suas várias relações, desde o vazio da cena do engate até aos terrenos profundos mas escorregadios da vida marital, mas tentando sempre ler da melhor maneira os sinais que lhe são enviados pelo sexo oposto."


Trailer:


sábado, 24 de dezembro de 2011

Ele não está assim tão interessado


Autores: Liz Tuccillo, Greg Behrendt
Ano: 2005
Editora: Presença
Número de páginas: 152

Classificação: 4/5
Lido entre 18/12/2011 e 20/12/2011 (3 dias)


Opinião:
Gostei do livro. Sei que existe o filme, e estou super curiosa de o ver. O livro é pequeno e muito interessante. Li-o em três dias (e teria conseguido lê-lo apenas num dia). Fala sobre as relações entre casais e como muitas das desculpas que as pessoas dão, querem apenas dizer que não estão assim muito interessados em nós. Fez-me pensar em todos os namoros que tive.


Sinopse:
"Dirigido ao público feminino, sobretudo às mulheres que continuam a arranjar mil e uma desculpas para o facto de ele não telefonar, não aparecer, não se declarar, etc., etc., etc., este livro revela-lhe o verdadeiro motivo de todos esses «esquecimentos»: muito simplesmente, ele não está interessado em si! Greg Behrendt e Liz Tuccillo, dois dos guionistas da aclamada série "O Sexo e a Cidade", revelam, num tom satírico e frontal, todas as justificações encontradas pelas mulheres para não enfrentarem o problema e manterem relacionamentos afectivos decadentes ou mesmo humilhantes. Entre perguntas e respostas, os autores vão-lhe dando sugestões e conselhos para não voltar a cair na cantiga dele, sintetizando em pequenos quadros quais os argumentos dados pelos homens para não telefonarem ou não avançarem na relação, e o que eles realmente significam. No final de cada capítulo é-lhe apresentado um resumo daquilo que deverá ter aprendido depois de ler o capítulo em questão e alguns exercícios para saber se está ou não a fazer progressos. E porque há sempre alguém que acabará por a amar, aceite um conselho: livre-se dele e seja feliz!"

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Fortaleza Digital


Autor: Dan Brown
Ano: 2006
Editora: Bertrand
Número de páginas: 448

Classificação: 3/5
Lido entre 16/10/2011 e 17/12/2011 (62 dias)


Opinião:
Este foi um livro emprestado. Não tem nada a ver com o tipo de livros que eu gosto de ler. Confesso que achei-o bastante assustador. Não o podia ler à noite porque a história me metia medo. Não estou a exagerar, eu sou demasiado sensível. O livro é enorme (tem 448 páginas) e demorei mais de dois meses a lê-lo porque não me cativou quase nada. Aliás, só no final é que comecei a achar mais interessante e conseguiu prender-me. Apesar de tudo isto, atribuí a classificação de três estrelas (em cinco) por causa do final. O livro tem imensos capítulos (mais de 100) e alguns deles são extremamente curtos (só de uma página), o que prejudica um pouco o livro, já que há muitas quebras.

Sinopse:
"Quando o ultra-secreto e invencível descriptador da NSA, o Crivo, se depara com uma mensagem indecifrável criada por um «anjo caído» da própria agência, o director de operações recorre à brilhante criptógrafa Susan Fletcher e ao seu noivo, um professor de Literatura, para o ajudarem a desvendar o mistério.
Qual será a natureza do terrível código que tomou a NSA como refém? E terá David Becker êxito na sua demanda por um misterioso anel?
Apanhada numa vertiginosa rede de secretismos e mentiras, Susan tenta desesperadamente salvar a agência em que acredita e, mais tarde, a própria vida e a do homem que ama.
Mas será essa a resposta para a segurança universal?
Chegando o momento da verdade , «quem guardará os guardas»?"

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

The Duchess


Nome em português: A duquesa
Ano: 2008
Género: Biografia, Drama, História
Realização: Saul Dibb
Elenco: Keira Knightley (como Georgiana), Ralph Fiennes (como The Duke), Dominic Cooper (como Charles Grey)


Opinião:
Classificação: 8/10. Filme visto em 19.12.2011.
Este filme não estava na lista dos filmes que eu queria ver, mas adorei vê-lo. Muito bom mesmo! É baseado numa história real.
Fez-me pensar sobre os casamentos da altura, muitos deles de farsa, em que a mulher aguentava tudo, incluindo traições, e onde não se valorizava o verdadeiro amor. Também reflecti acerca do erro de se pensar que quem decide o sexo do bebé que vai nascer é o corpo da mulher. Hoje em dia, sabe-se que perfeitamente que é o homem. E o curioso disso, é que ainda há umas décadas se mantinha esse pensamento errado. E, por fim, fez-me pensar sobre o que as pessoas são capazes de fazer pelos seus filhos, para poderem vê-los e estar com eles, que inclui abdicar de imensas coisas que não posso dizer.


Sinopse:
"Enquanto a sua beleza e carisma lhe trouxeram êxito, os seus gostos extravagantes e apetite por jogos e amor tornaram-na infame. Georgiana Spencer casou jovem com o distante e mais velho Duque de Devonshire, íntimo de ministros e príncipes, e tornou-se um ícone de moda, uma mãe devota, uma astuta figura política e a mulher mais adorada pelo povo. Mas no centro da sua história está uma busca desesperada por amor, do caso condenado à partida com Charles Grey ao complexo ménage à trois com o seu marido e a sua melhor amiga, Lady Bess Foster."


Trailer:




quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Juno


Ano: 2007
Género: Comédia, Drama, Romance
Realização: Jason Reitman
Argumento: Diablo Cody
Elenco: Ellen Page (como Juno MacGuff), Michael Cera (como Paulie Bleeker) and Jennifer Garner (como Vanessa Loring)


Opinião:
Minha classificação: 6/10. Filme visto em 27.11.2011.
Este filme estreou quando eu morava em Lisboa. Lembro-me de ver o poster deste filme e de me ter chamado à atenção. Desde essa altura que fiquei com vontade de ver o filme. A personagem principal é a Juno que, como se vê na imagem, fica grávida. Achei interessante ela levar a gravidez dela muito na "desportiva". Ela era uma adolescente! Eu acho que, se ficasse grávida quando era adolescente, ficaria em pânico. E depois a Juno decide dar o filho para um casal que não podia ter filhos, como se pode ler na sinopse do filme. É uma atitude muito adulta. E o filme, para ser completo, tem de ter também uma lição de vida. Fez-me pensar sobre os casamentos, sobre os casais que não são felizes para sempre, como deveria ser.


Sinopse:
"Juno é uma adolescente segura e descontraída com resposta para tudo e para todos. Juno não tem um problema de atitude; tem atitude a mais. Para sobreviver a mais uma tarde de aborrecimento, Juno decide ter sexo com o seu inseguro colega de escola Bleeker. Confrontada com uma gravidez indesejada, Juno e a sua melhor amiga, traçam um plano para encontrar os pais perfeitos para o bebé que ainda vai nascer. Mas à medida que a barriga vai crescendo e que Juno vai convivendo com os futuros pais da criança, começa a perceber que, afinal, não tem resposta para tudo… e que a vida ainda lhe pode reservar algumas surpresas."


Trailer:


domingo, 27 de novembro de 2011

Million Dollar Baby


Nome em português: Million Dollar Baby - Sonhos vencidos
Ano: 2004
Género: Drama, Desporto
Realização: Clint Eastwood
Argumento: Paul Haggis, F.X. Toole
Elenco: Hilary Swank (como Maggie Fitzgerald), Clint Eastwood (como Frankie Dunn), Morgan Freeman (Eddie Scrap-Iron Dupris)


Opinião:
Classificação: 5/10. Filme visto em duas partes (tem 2h12min), mas terminado em 20.11.2011.
O filme é um bocado violento para o meu gosto, mas tem uma lição de vida, por isso pode dizer-se que gostei.


Sinopse:
"Frankie Dunn (Clint Eastwood), sempre treinou e geriu as carreiras dos melhores boxeurs e passou a vida no ringue de boxe. A mais importante de todas as lições que ensina a quem treina, é aquela que aplica na sua vida: "protege-te a ti mesmo!". A certa surge surge no ginásio de Frankie Maggie Fitzgerald (Hilary Swank). que sempre teve pouco da vida, mas que ao contrário de muitos, sabe bem o que quer e tem a determinação necessária para o alcançar. O ambos não sabem é que terão de enfrentar um desafio que irá exigir mais coragem e alma do que podem imaginar."


Trailer:

sábado, 26 de novembro de 2011

Love and Other Drugs



Nome em português: O amor é o melhor remédio
Ano: 2010
Género: Comédia, Drama, Romance
Realização: Edward Zwick
Elenco: Jake Gyllenhaal, (como Jamie Randall) Anne Hathaway (como Maggie Murdock) Judy Greer (como Cindy)


Opinião:
Minha classificação: 5/10. Não sei a data em que vi o filme.
Ao ver o trailer dá a sensação deste filme ser realmente espectacular. Não é que eu não tenha gostado, mas estava à espera de melhor. Houve alturas no filme em que me pareceu demasiado semelhante com o filme Sexo sem compromisso, mas este filme é bem mais interessante. Uma das personagens tem a doença de Parkinson, o que dá um certo interesse ao filme.


Sinopse:
"Maggie é um fascinante espírito livre que não permite que nada a prenda, nem mesmo um fascinante desafio pessoal. Mas conhece a sua cara-metade em Jamie Randall, cujo charme é quase infalível tanto com as senhoras como com as vendas de produtos farmacêuticos. A evolução da relação entre Maggie e Jamie apanha-os de surpresa, ao darem conta de estarem sob a influência da derradeira droga: o amor..."


Trailer:

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Escutismo para rapazes, segundo Ian Hislops

Vi este documentário da BBC sobre o Escutismo e gostei bastante. É longo, tem 59 minutos, mas vê-se bem. Há muita coisa que eu já sabia e muitas outras que fiquei a saber.

sábado, 12 de novembro de 2011

100 jogos musicais


Autor: Ger Storms
Ano: 2003
Editora: ASA
Número de páginas: 124

Classificação: 4/5
Lido entre 17/10/2011 e 10/11/2011 (24 dias)


Opinião:
Este livro não é um romance nem nada parecido. Não é um livro de se ler de uma ponta à outra. É um livro de consulta. Mas como eu li-o todo (para seleccionar os jogos musicais que me interessam) vou considerar como mais um livro lido. De uma forma geral, os jogos são bastante interessantes e muito fáceis de aplicar. Há alguns jogos direccionados a crianças mais novas, outros para jovens; é uma questão da pessoa seleccionar aqueles que mais se adaptam ao grupo que tem. 

Sinopse:
"É constituída por cem jogos destinados a serem usados em múltiplas situações educativas e/ou recreativas. Não exigindo habilidades especiais para os implementar, é um livro para todas as idades, embora as suas características lúdicas privilegiem as camadas infantis e juvenis. Um livro que permite o contacto com a Educação Musical num tom recreativo mas também formativo. Três partes constituem o núcleo duro da obra: • Jogos de desenvolvimento das aptidões pessoais; • Jogos de desenvolvimento da sociabilidade; • Jogos de desenvolvimento do espírito criativo."

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Table for Three



Ano: 2009
Género: Comédia, Romance
Realização: Michael Samonek
Argumento: Michael Samonek
Elenco: Brandon Routh (como Scott Teller), Jennifer Morrison (como Leslie), Sophia Bush (como Mary), Jesse Bradford (como Ryan)


Opinião:
Minha classificação: 5/10. Filme visto em 24.10.2011.
Este filme pertence ao género de filmes que eu gosto realmente de ver: comédias românticas. Não desgostei mas estava à espera de melhor. Achei que a actriz Sophia Bush fez uma excelente representação.


Sinopse:
"Depois de terminar um relacionamento, um rapaz convida um "casal perfeito" para dividir consigo o seu enorme apartamento. Quando surge a oportunidade de começar um novo romance, a dupla começa a atrapalhar a sua vida..."


Trailer:



quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Astérix nos Jogos Olímpicos


Autor: René Goscinny & Albert Uderzo
Ano: 2005
Editora: ASA
Número de páginas: 48

Classificação: 4/5
Lido entre 06/11/2011 e 06/11/2011 (1 dia)


Opinião:
Mais um livro emprestado. Mais um livro do Astérix. Acho piada a estas personagens. As histórias do Astérix estão cheias de pequenos pormenores, quer nas imagens, quer nos diálogos, a que é preciso estar atento. Uma última informação: este livro já foi adaptado ao cinema.


Sinopse:
"Este é o décimo-segundo livro da série Astérix.
Um legionário do campo entrincheirado de Aquarium é apurado para os jogos olímpicos, despertando o interesse dos gauleses pelo desporto. Para poderem participar nos jogos auto-proclamam-se romanos (pois só os romanos e os gregos podem participar) e todos os homens da aldeia partem para a Grécia para assistir a Astérix e Obélix a participar nas provas olímpicas.
Os romanos receosos de uma derrota denunciam que os gauleses pretendem usar a poção mágica para vencer as provas. Como efeito Obélix fica impedido de participar, ficando Astérix como único participante galo-romano."

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

The Bucket List


Nome em português: Nunca é tarde de mais
Ano: 2007
Género: Aventura, Comédia, Drama
Realização: Rob Reiner
Argumento: Justin Zackham
Elenco: Jack Nicholson (como Edward), Morgan Freeman (como Carter) e Sean Hayes (Thomas)


Opinião:
Minha classificação: 8/10. Filme visto em 23.10.2011.
Este filme estava na "lista dos filmes que eu quero ver". Basicamente fala de uma lista das coisas que a pessoa quer fazer antes de morrer. Vi o filme com imensa curiosidade e não me desiludi. E como eu adoro listas, o filme motivou-me imenso. Fez-me reflectir acerca da vida, de como devemos aproveitar ao máximo enquanto vivemos, porque a vida é finita.


Sinopse:
"O executivo multi-milionário Edward Cole e o mecânico da classe operária Carter Chambers vivem em mundos muito diferentes. Numa reviravolta da vida os seus destinos cruzam-se num quarto de hospital e descobrem que têm duas coisas em comum: um desejo de gastar o tempo que lhes resta a fazer tudo aquilo que sempre desejaram e uma necessidade inconsciente de se aceitar tal como são. Juntos embarcam numa viagem única, tornando-se amigos e aprendendo a viver a vida no seu melhor, com sensatez e humor."


Trailer:

terça-feira, 8 de novembro de 2011

O véu pintado


Autor: William Somerset Maugham
Ano: 2011
Editora: ASA
Número de páginas: 296

Classificação: 3/5
Lido entre 02/10/2011 a 05/10/2011 (4 dias)


Opinião:
Um livro emprestado pela minha irmã mais velha. A história "O véu pintado" já é antiga. Já foi, inclusivé, adaptada ao cinema várias vezes. Já vi um dos filmes, como se pode ver aqui. Este livro em particular foi lançado em maio deste ano.
O filme e o livro são um pouco diferentes: enquanto no livro não há praticamente referência nenhuma ao trabalho que o Walter faz, no filme mostram algumas cenas sobre esse assunto. O final da história também é diferente. Quer no livro, quer no filme, achei o ambiente de toda a história bastante pesado. No entanto, é uma boa leitura.


Sinopse:
"Kitty é a deslumbrante mas superficial esposa do Bacteriologista Walter Fane, alocado no protetorado britânico de Hong Kong. Insatisfeita com a vida conjugal, a jovem apaixona-se por um diplomata inglês. O caso é descoberto pelo marido, que inicia uma terrível vingança: ele pede transferência para uma região remota da China, onde ocorre um surto de cólera."

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

sábado, 1 de outubro de 2011

The Phantom of the Opera



Nome em português: O fantasma da ópera de Andrew Lloyd Webber
Ano: 2004
Género: Drama, Musical, Romance
Realização: Joel Schumacher
Argumento: Gaston Leroux, Andrew Lloyd Webber
Elenco: Gerard Butler (como The Phantom), Emmy Rossum (como Christine), Patrick Wilson (como Raoul)


Opinião:
Minha classificação: 9/10. Filme visto em 29.10.2011.
Gostei muito deste filme. Gostei quase tanto como tinha gostado do "Moulin Rouge". Mas podia ter gostado mais, se houvesse cenas menos "violentas". De qualquer forma, recomendo mesmo! E só um pormenor: estreou no dia dos meus anos. :)


Sinopse:
"Versão cinematográfica do famoso musical «The Phantom of the Opera» de Andrew Lloyd Webber. Depois de «Evita», o compositor juntou-se ao realizador Joel Schumacher e juntos adaptaram a encenação teatral para a tela. É a história (cantada) de um amor impossível entre um genial compositor disforme, tido como o fantasma da Opera de Paris e uma jovem cantora aspirante a prima donna."


Trailer:

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Rubi


Autor: Kerstin Gier
Ano: 2010
Editora: Contraponto
Número de páginas: 272

Classificação: 3/5
Lido entre 17/09/2011 e 30/09/2011


Opinião:
Sinceramente estava à espera que o livro fosse muito melhor. Não gostei muito da história e achei um bocado confusa. Além disso, terminou sem que se esclarecesse o leitor sobre imensas coisas (estava à espera que se explicassem algumas situações). A única coisa que eu gostei foi do humor ao longo do livro.

Sinopse:
"Pertencer a uma família cheia de segredos não é fácil, ou pelo menos é o que pensa Gwendolyn Sheperd, de 16 anos. Até que um dia se vê em Londres do final do século passado e se apercebe de que ela própria é o maior segredo da família. Do que Gwendolyn não se apercebera é que apaixonar-se quando se está presa num tempo diferente, não é nada boa ideia. Tudo se pode complicar..."

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Forrest Gump


Ano: 1994
Género: Comédia, Drama, Romance
Realização: Robert Zemeckis
Argumento: Winston Groom, Eric Roth
Elenco: Tom Hanks (como Forrest Gump), Robin Wright (como Jenny Curran), Gary Sinise (como Lieutenant Dan Taylor)


Opinião:
Minha classificação: 6/10. Filme visto em 26.10.2011.
Toda a gente já viu este filme e, como eu nunca o tinha visto, quis vê-lo. Gostei bastante. Não é nada violento (antes pelo contrário), tem cenas engraçadas, e conseguimos tirar uma lição de vida. Muito bom mesmo! Recomendo. É um bocado longo (tem 2h22min).


Sinopse:
"Filme vencedor de 6 Óscares em 1995, incluindo Melhor Filme e Melhor Actor. Através de três turbulentas décadas, Forrest cavalga numa cadeia de eventos que o levam da incapacidade física até ao estrelato no futebol, de herói do Vietnam a empresário de pesca de camarão, de honras na Casa Branca aos braços do seu verdadeiro amor. Forrest é o símbolo de uma era, um inocente à solta numa América que está a perder a sua inocência. O seu coração sabe o que o seu limitado QI não consegue saber. O seu compasso moral nunca balança. Os seus triunfos tornam-se numa inspiração para todos. Forrest Gump, é a história de uma vida."


Trailer:

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

I am Sam


Nome em português: I am Sam - a força dos afectos
Ano: 2001
Género: Drama
Realização: Jessie Nelson
Elenco: Sean Penn (como  Sam Dawson), Michelle Pfeiffer (como Rita Harrison Williams), Dakota Fanning (como Lucy Diamond Dawson)


Opinião:
Minha classificação: 6/10. Filme visto em 21.09.2011.
Este filme estava na lista dos filmes que queria ver, embora não me lembre porquê. Como é longo (tem 2h12min), tive de o ver em dois dias separados. Gostei bastante do filme e recomendo.


Sinopse:
"Sam Dawson é um homem com deficiências mentais que cria a sua filha Lucy com a ajuda de um extraordinário grupo de amigos.
Quando Lucy faz sete anos, ultrapassa intelectualmente o pai; nessa altura, a relação privilegiada entre os dois é ameaçada por uma assistente social que coloca Lucy ao cuidado de um orfanato.
Enfrentando o que parece um problema imbatível, Sam jura lutar contra o sistema legal e forma uma inesperada aliança com Rita Harrison, uma poderosa e egoísta advogada que aceita o caso gratuitamente em resposta a um desafio dos seus colegas.
Juntos, lutam para convencer o sistema que Sam merece a sua filha de volta e, durante o processo, formam-se entre eles laços que são um testemunho único do poder do amor incondicional."


Trailer:

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

E nunca deixe de dançar


Autor: Gordon Livingston
Ano: 2011
Editora: Editorial Presença
Número de páginas: 128

Classificação: 2/5
Lido entre 08/09/2011 e 15/09/2011 (8 dias)


Opinião:
Não me cativam livros de auto-ajuda porque considero que raramente trazem algo de novo. Motivam-me muito mais livros que contenham uma história. Não gostei especialmente da leitura deste livro, no entanto estava à espera de pior. O autor foca assuntos bastante diferentes uns dos outros e dedica um capítulo a um tema diferente. Os capítulos são bastante curtos e os que gostei mais foram aqueles dedicados ao Casamento, ao Medo, à Morte e aos Heróis. O facto do autor dar exemplos da sua própria vida, ou de doentes que foram ao seu consultório, torna o livro mais humano e mais real.


Sinopse:
"Este novo livro de Gordon Livingston traz-nos trinta verdades que nos ajudam a viver com mais coragem e alegria. Com uma compreensão profunda do tumulto emocional que rege as nossas vidas, um sentido infalível do que é realmente importante e uma grande capacidade de perseverança face às maiores adversidades, o autor reorienta a nossa percepção das questões que determinam a satisfação plena e a realização pessoal, apresentando situações concretas nas quais nos podemos rever e dando-nos conselhos úteis para que possamos adequar os traços da nossa personalidade aos reveses da vida e vivermos com mais harmonia."

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Daniel Powter - Best Of Me



I was made the wrong way
won't you do me the right way
where you gonna be tonight
'cause I won't stay too long

maybe you're the light for me
when you talk to me it strikes me
won't somebody help me
'cause I don't feel too strong

Was it something that I said
was it something that I did
or the combination of both that did me in

You know I'm hoping you'll sing along
Though it's not your favorite song
don't wanna be there when there's nothing left to say
you know that some of us spin again
when you do, you need a friend
don't wanna be there when there's nothing left for me
and I hate the thought of finally being erased
baby that's the best of me

Everything's behind you
but the hope still stands beside you
living in every moment
have I wasted all your time

Was there something that I said
was there something that I did
or the combination I broke that did me in

You know I'm hoping you'll sing along
though it's not your favorite song
don't wanna be there when there's nothing left to say
you know that some of us spin again
when you do, you need a friend
don't wanna be there when there's nothing left for me
and I hate the thought of finally being erased
baby that's the best of me
baby that's the best of me

You know I'm hoping you'll sing along
though it's not your favorite song
don't wanna be there when there's nothing left to say
you know that some of us spin again
when you do, you need a friend
don't wanna be there when there's nothing left for me
and I hate the thought of finally being erased
baby that's the best of me

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Jude



Ano: 1996
Género: Drama, Romance
Realização: Michael Winterbottom
Elenco: Christopher Eccleston (como Jude Fawley), Kate Winslet (como Sue Bridehead), Liam Cunningham (como Phillotson)


Opinião:
Minha classificação: 4/10. Filme visto em 11.09.2011. 
Primeiro filme visto no T1. Este filme estava na lista dos filmes que eu queria ver. No entanto, não me lembro do motivo pelo qual ele estava na lista. Gostei de quase todo o filme, excepto das cenas dramáticas do final. Curiosamente, tenho a sensação de já ter visto essas cenas alguma vez, mas não me recordo nem quando, nem onde, nem porquê. O filme faz reflectir acerca do casamento, do verdadeiro amor e da crença ou não em Deus.


Sinopse:
"O filme conta a história de um homem que é enganado e se casa por conveniência. Ele não é feliz, é deixado pela sua esposa e assim ele se apaixona perdidamente pela sua prima, com quem também logo depois se casa. Não resistem à paixão e ficam juntos. Este filme leva-nos a reflectir sobre o amor e o casamento. Leva-nos a refletir se realmente um casamento é um papel assinado, ou a afinidade entre dois seres humanos, formando assim um corpo só."


Trailer:

domingo, 11 de setembro de 2011

Nights in Rodanthe


Nome em português: O sorriso das estrelas
Ano: 2008
Género: Drama, Romance
Realização: George C. Wolfe
Argumento: Nicholas Sparks, Ann Peacock
Elenco: Diane Lane (como  Adrienne Willis), Richard Gere (como Dr. Paul Flanner), Christopher Meloni (como Jack Willis)


Opinião:
Classificação: 6/10. Visto em 07.09.2011.
Já queria ver este filme há muito tempo, por ser baseado num livro de Nicholas Sparks. Por acaso, de todos os livros que li do Nicholas Sparks, esse livro foi o que gostei menos de ler. Não me recordo muito bem de alguns pormenores do livro, mas tenho ideia que no livro tinha morrido o marido à personagem principal, enquanto que aqui aparecem como sendo divorciados. Posso estar enganada. O filme é razoável.


Sinopse:
"Nunca é tarde demais para uma segunda oportunidade. No drama romântico «O Sorriso das Estrelas», baseado no bestseller de Nicholas Sparks, Diane Lane é Adrienne Willis, uma mulher que tem a sua vida num verdadeiro caos. Ela decide retirar-se para a pequena cidade costeira de Rodanthe, na Carolina do Norte, de modo a receber um hóspede no fim-de-semana, na pousada da sua melhor amiga. Aí, ela espera encontrar a tranquilidade que tanto precisa, de modo a repensar a sua vida e todos os conflitos em torno dela – um marido que pediu para regressar para casa e uma filha adolescente que contraria todas as decisões da mãe. Assim que Adrienne chega a Rodanthe, prevê-se uma grande tempestade e o Dr. Paul Flanner (Richard Gere) chega. O único hóspede na pousada pretendia passar um fim-de-semana em retiro, de modo a enfrentar uma crise de consciência que se apoderou dele. Com o aproximar da tempestade, Adrienne e Paul, ficam mais próximos e um mágico fim-de-semana, cheio de romance, irá mudar as suas vidas para sempre."


Trailer:


sábado, 10 de setembro de 2011

O Diário de Carrie


Autor: Candace Bushnell
Ano: 2010
Editora: Oficina do livro
Número de páginas: 391

Classificação: 3/5
Lido entre 03/09/2011 e 07/09/2011 (5 dias)


Opinião:
De uma série de livros que me emprestaram, este foi aquele que escolhi para ler em primeiro lugar. Foi aquele que me chamou mais à atenção. Pareceu-me o mais interessante. E gostei da leitura. Mas estava à espera de melhor. Achava que ia gostar MESMO. O livro pretende demonstrar como seria a vida da personagem Carrie antes do filme "Sexo e Cidade", durante o tempo de Secundário. Achei que as personagens são tão demasiadamente "americanas". Acho que em Portugal as pessoas são um misto de várias coisas. Lá são demasiado dividas por grupos: ou os "populares" ou os "totós" e por aí adiante. O livro tem algumas cenas bastante interessantes e consegui retirar algumas frases que serviram de "pensamento do dia". A crítica negativa que faço ao livro é por colocar praticamente todas as personagens constantemente a fumar, a beber e fala-se imenso de sexo. Já li histórias do género e que gostei muito mais do que deste romance precisamente devido a esse ponto.



Sinopse:
"Antes de Nova Iorque. Antes da coluna sobre sexo e amor mais lida da Big Apple. Antes da entrada em cena de Samantha, Charlotte, Miranda e Mr. Big - sem esquecer os cup cakes e os cosmopolitans -, Carrie Bradshaw era uma rapariguinha de uma pequena cidade americana que desejava o melhor para si. 

Carrie estava preparada para a vida «a sério», mas primeiro teria de terminar com êxito o secundário. Até aqui, ela e os seus amigos eram inseparáveis, mas, depois do sedutor Sebastian Kydd e da traição de uma amiga, Carrie começa a questionar tudo o que tinha vivido até aquele momento. Decide partir para Nova Iorque e é aí que uma nova vida vai começar... 
O Diário de Carrie é a história de uma rapariga de liceu e dos seus amigos de sempre, da sua família e da descoberta de um talento para escrever de uma forma única sobre as relações entre amigos, família, rapazes e raparigas. Dos bancos de escola para a cidade de todos os sonhos e de todos os desejos, a saga da heroína de Sexo e a Cidade. Uma rapariga que sempre soube que um dia iria escrever um livro que mudaria o mundo. Uma personagem que se tornou um ícone de uma geração."

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Primo Basílio


Ano: 2007
Género: Drama
Realização: Daniel Filho
Argumento: Eça de Queirós, Rafael Dragaud
Elenco: Débora Falabella (como Luísa), Fábio Assunção (como Jorge), Glória Pires (como Juliana)


Opinião:
Minha classificação: 7/10. Visto no dia 05.09.2011, no portátil com o Sam.
Este filme é baseado na obra de Eça de Queirós com o mesmo nome. Já li esse livro há vários anos e não me lembro de alguns pormenores que aparecem no filme. No entanto, fiquei com a ideia que o filme é bastante fiel ao livro. Houve algumas adaptações, como por exemplo o facto da acção se desenrolar em S. Paulo e não em Lisboa como aparece no livro. A época em que decorre a acção também não é a mesma. No final tem algumas cenas mais dramáticas e que não gostei tanto. Fora isso, gostei.


Sinopse:
"A história contada por Eça de Queiroz no clássico da literatura "O Primo Basílio" é transferida de Lisboa para São Paulo, em 1958. É quando a jovem Luísa está casada com o engenheiro Jorge ausente do lar por estar envolvido na construção de Brasília. O reencontro de Luísa e seu primo Basílio coloca o casamento da jovem sonhadora em risco, já que ela se envolve num caso extraconjugal. Juliana, sua invejosa governanta, descobre o romance proibido e faz de tudo para infernizar a vida de Luísa, ameaçando revelar seu segredo."


Trailer:

terça-feira, 6 de setembro de 2011

A mais bela história de Deus - Quem é o Deus da Bíblia?





Autores: Jean Bottéro, Marc-Alain Ouaknin, Joseph Moing
Ano: 1998
Editora: ASA

Número de páginas: 172

Classificação: 2/5

Lido entre 26/08/2011 a 06/09/2011 (12 dias)


Opinião:
Aprendi coisas novas com este livro e relembrei outras. Como este livro não é um romance, não foi propriamente relaxante estar a lê-lo. Aliás, em certas passagens tinha mesmo de estar concentrada senão não compreendia certas coisas. Durante toda a leitura tentei aprender e decorar o que não sabia. Este é daqueles livros que é recomendado ler novamente passado uns tempos.


Sinopse:

"Não é preciso ser crente para ler este livro. A Mais Bela História de Deus é uma parte da nossa história, uma parte de nós próprios. Conhecê-la e entendê-la melhor é conhecer-nos e enterder-nos melhor a nós mesmos. Contada aqui a três vozes, e em três registos bastante diferentes, ela convida-nos a redescobrir, na plenitude das suas implicações, os dois Testamentos de que somos herdeiros. E a conhecer melhor o Deus da Bíblia, o dos judeus e dos cristãos, um Deus indissociável da história do Ocidente, das suas vitórias e das suas catástrofes, bem como da génese do nosso mundo moderno.


Três especialistas, cada um com a sua formação e as suas convicções, respondem ás questões mais pertinentes levantadas pela ideia do Deus da Bíblia."